Notícia


Dados do TCTH: Como está o cenário brasileiro ?

Atualizado em: 14/02/2020


Confira os primeiros resultados alcançados por meio da iniciativa da SBTMO em parceria com o CIBMTR que permitirão responder a essa questão futuramente

 Os primeiros resultados da prática nacional do transplante de células-tronco hematopoieticas (TCTH) gerados a partir dos dados extraídos do Center for International Blood and Marrow Transplant Research  (CIBMTR) já demonstram que a plataforma de registro internacional é extremamente eficaz para que seja possível traçar um panorama preciso do cenário brasileiro do TCTH em suas diversas modalidades.

 Com base nas informações enviadas por sete serviços de transplante brasileiros por meio do “Projeto de Pesquisa: Registro multicêntrico de Transplantes de Células - Tronco Hematopoéticas (TCTH) autólogos e alogênicos para doenças malignas e não malignas realizados no Brasil e relatados no Center for International Blood and Marrow Transplant Research (CIBMTR)”, foi possível verificar, além de uma análise do cenário nacional, que a plataforma do CIBMTR oferece segurança e acurácia na geração dos dados, conforme a demanda, podendo inclusive ser utilizada para enviar os indicadores a outros registros. Além disso, tem como característica o fato de ser extremamente ágil. Para se ter uma ideia, é possível realizar a extração, unificação e análise de aproximadamente 4 mil dados em uma média de 2 semanas. 

Esse foi o tempo estimado que o grupo de trabalho de Gerentes de Dados (GTGD) da SBTMO investiu para extrair os primeiros resultados a partir dos dados brasileiros já registrados junto ao CIBMTR, conforme informou a gerente de dados e coordenadora do Grupo de Trabalho de Gerentes de Dados da SBTMO, Cinthya Corrêa da Silva. Além de Cinthya, o grupo tem como presidente Anderson João Simione, e também coordenadoras Heliz Regina Alves das Neves e Bruna Letícia da Silva Santos Geraldo. 

Aprovado pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP) em 2019, o Projeto está em andamento, o que permite a todos os serviços interessados aderirem. Confira a carta-convite com informações sobre como fazer para seu serviço fazer parte do estudo. Converse conosco também, por meio do nosso GT de Gerentes de Dados via gdbrasil@sbtmo.org.br 

Inclusive, os resultados do projeto foram apresentados pela primeira vez, há um ano, na categoria oral, durante o TCT Meeting 2019 – evidenciando a efetividade da ferramenta do CIBMTR. No mesmo ano, a pesquisa recebeu o Prêmio – Ricardo Pasquini – Jovem Cientista no Congresso da SBTMO. 

De lá para cá, o número de adeptos vem crescendo e hoje já são 20 centros que participam do estudo, com anuência da Conep:

- A.C.Camargo Cancer Center

- Centro de Pesquisas Oncológicas (CEPON)

- Erasto Gaertner Hospital - Liga Paranaense de Combate ao Câncer

- Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com o Câncer (GRAACC)

- Hospital Amaral Carvalho

- Hospital de Câncer de Barretos – Hospital de Amor

- Hospital de Clínicas da Faculdade da USP

- Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR)

- Hospital de Clínicas de Niterói

- Hospital de Clínicas de Porto Alegre

- Hospital Israelita Albert Einstein

- Hospital Natal Center

- Hospital Samaritano de São Paulo

- Hospital Universidade Walter Cantídio (HUWC)

- Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (IBCC)

- Instituto de Tratamento do Câncer Infantil (ITACI)

- Instituto Nacional de Câncer (INCA)

- Real Benemérita Associação Portuguesa/SP

- Universidade de Federal de Minas Gerais (UFPR)

- Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

O presidente do GTGD, Anderson Simioni, esclarece que a adesão ao envio de dados ao CIBMTR tem entre os benefícios para os serviços brasileiros o fato de possibilitar comparações de resultados nacionais e internacionais na realização de estudos multicêntricos. “Também existe a possibilidade de os centros brasileiros participarem dos estudos desenvolvidos pelo CIBMTR”, explica o gerente de dados. 

Agora, em fevereiro, os membros do GTGD estarão novamente no TCT Meeting 2020, apresentando o pôster “Strategies to Increase the Number of Centers Reporting Data to the Center for International Blood and Marrow Transplant Research (CIBMTR)”

A SBTMO hoje mantém um acordo de parceria com o CIBMTR, o que tem contribuído ainda mais com essa expansão. De acordo com o presidente da SBTMO, Nelson Hamerschlack, por meio dessa iniciativa será possível construir uma plataforma de coleta de dados sobre os transplantes em português junto ao CIBMTR, o que possibilitará padronizar a coleta dos dados nacionais dos TCTHs e melhorar a prática do procedimento, bem como os resultados terapêuticos dos pacientes. “Essa iniciativa contribuirá inclusive com os processos para obtenção da acreditação FACT-SBTMO”, pontua Hamerschlak. Isso porque, conforme explica o GTGD “como um dos critérios para se obter essa certificação, é necessário atender a alguns padrões, entre eles o B9, em que há obrigatoriedade em registrar os casos de TCTH no CIBMTR e ou EBMT”. 

Confira os centros que fazem parte do CIBMTR aqui

Para aprender como preencher os dados pré e pós-transplante, confira o curso online ministrado em 2019 ou acesse o “Guia Novos Centros CIBMTR Passo a Passo”. 

Leia também

Com 24 centros participantes, dados dos TCTHs brasileiros integram o Relatório do CIBMTR 2019





QUERO RECEBER NOVIDADES



SBTMO 2019 - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Purpose Agency